Adicionar este site aos favoritos

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Clique aqui e simule um financiamento!

 


Perguntas frequentes

 


 


Comprei um apartamento por financiamento bancário, como funciona esse processo?

Para fazer o financiamento, você deve contatar a construtora para receber a orientação inicial necessária, que resumidamente é:

Primeiro, o responsável na obtenção do financiamento é você. O departamento de crédito e o departamento jurídico do banco vão analisar e conceder um financiamento a você e somente você poderá dar as informações e solicitar os documentos pessoais que serão analisados, assim como tirar eventuais dúvidas que o banco venha a ter para o processo. É o início de um longo relacionamento entre você e o banco.

Segundo, é responsabilidade da construtora disponibilizar a você todos os documentos e certidões referentes à construtora e ao empreendimento em Cartório de Notas.

Terceiro, assim que a construtora entregar os últimos documentos referentes à obra, que são o Habite-se e a especificação de condomínio, você pode dar entrada no pedido de financiamento. Por isso é importante entender que o banco só passa a receber as solicitações de financiamento para análise depois de estar de posse dos documentos citados. Porém, é fundamental para que o processo corra no mínimo prazo possível começá-lo com antecedência para que nesta data, também a documentação do cliente esteja em ordem.

Por fim, se você não souber ou não gostar muito de fazer esse processo burocrático, você poderá procurar uma pessoa ou empresa de assessoria especializada em intermediar a solicitação de crédito entre você e o banco ou pedir para um conhecido e/ou familiar tratar dos papéis para você.



Qual é a diferença entre financiamento pelo S.F.H. (Sistema Financeiro de Habitação) e pela C.H. (Carteira Hipotecária) e qual émais interessante?

Pelo S.F.H., poderão ser financiados imóveis de valor máximo de avaliação de R$500.000,00 (legislação vigente). A taxa máxima de juros será de 12% ao ano e poderá haver uso do F.G.T.S., desde que respeitadas as condições de uso do mesmo e o valor máximo de financiamento será de até R$245.000,00, não podendo, na maioria dos bancos, ultrapassar 80% do valor de avaliação.

Pela C.H., não há valor máximo de avaliação, podendo ser financiados imóveis que ultrapassam o valor de avaliação de R$350.000,00. Não poderá haver uso do F.G.T.S. e o valor máximo de financiamento será, na maioria dos bancos, de 60% do valor de avaliação. A taxa de juros será negociada com o banco no momento da contratação do financiamento, ficando normalmente acima dos 12% ao ano.

Para imóveis inferiores a R$500.000,00 de avaliação, o mais interessante é o uso do S.F.H., pois apresenta taxa menor de juros e permite o uso do F.G.T.S., além de outros incentivos na hora de recolhimentos de impostos e despesas de registro de imóveis.



Qual éa forma de composição de renda normalmente aceita pelos bancos? Se um dos nomes tiver problema junto às instituições de crédito (SERASA, ACSP, etc.) o financiamento pode ser bloqueado?

Os bancos normalmente aceitam a composição de renda do casal. Outros casos como união estável, noivos, pais e filhos, irmãos dependem da consulta junto ao banco, pois varia muito a aceitação de uma instituição financeira para outra. Em muitos casos, a aceitação, se ocorrer, virá acompanhada de solicitação de documentação complementar.

Caso um dos nomes tenha problema em uma instituição de crédito, com toda certeza o crédito será negado, mesmo que o desabono seja antigo e de pequeno valor.

 



Quais são as despesas com o processo de financiamento bancário? Sou obrigado a financiar pelo banco indicado pela construtora?

Eventualmente, o banco poderá cobrar T.A.C. (Taxa de Abertura de Crédito), taxa de análise jurídica, taxa de inscrição e expediente, dentre outras.

O cliente deverá arcar com as despesas relativas aos emolumentos que se originarem das certidões e documentos disponibilizados pela construtora, bem como honorários de despachante, certidões relativas à Municipalidade, de propriedade e outras relativas ao processo. Ainda por conta do cliente incidirão, quando da assinatura do contrato de financiamento, as despesas de registro de imóveis e I.T.B.I. (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis).

O financiamento do imóvel não precisa ser pelo banco indicado pela construtora, porém, o processo no mesmo banco é mais fácil, rápido e com menor encargos, pois não haverá necessidade de pagar pela avaliação do imóvel e não incidirão algumas taxas.



O que acontece se vencer a parcela de financiamento bancário e eu ainda não tiver o meu processo de solicitação de financiamento bancário aprovado pela instituição financeira?

Haverá cobrança de multa conforme estabelecido em contrato. A não ser que seja comprovada a entrega do processo junto ao banco para concessão de crédito dentro do prazo de entrada e o processo esteja fluindo dentro de seu trâmite normal, ou seja, não falte o encaminhamento de alguma solicitação do banco ou algum documento que compõe o processo. Nesta situação, a construtora aguardará a conclusão e expedição do contrato de financiamento por parte do banco, sem tomar nenhuma medida de cobrança do valor vencido.

Contudo, a cobrança de correção monetária e de juros transcorrerá normalmente, conforme previsto em contrato, até a data do contrato de financiamento bancário.

 


Qual a garantia necessária que deve ser apresentada, caso eu tenha saldo remanescente com a construtora após assinatura do contrato de financiamento bancário?

É necessário um Fiador. Para ser aceito, é necessário que ele possua dois imóveis em seu nome, tenha a renda mensal compatível com o valor das prestações anteriormente assumidas e não possua nenhum tipo de apontamento em seu nome junto a órgãos públicos.

Tudo isto é comprovado mediante uma relação de documentos que serão solicitados e o preenchimento de uma ficha cadastral. Este tipo de garantia somente é possível nos casos de financiamento bancário em que restou saldo devedor com a construtora, isto é, quando verificada dívida remanescente após a obtenção de financiamento junto à instituição financeira.

Caso a garantia não seja apresentada, a construtora suspenderá o contrato de financiamento bancário até que o cliente apresente a garantia solicitada.

 


Assinei o meu contrato de financiamento bancário e ainda não apresentei a minha garantia para o saldo remanescente com a construtora. Existe um limite de tempo e o que acontece se eu não apresentá-la?

Sim. Existe um prazo para a conclusão do processo junto ao banco. Uma vez suspensa a assinatura pela construtora, esse prazo não será cumprido e o banco cancelará a aprovação de crédito e a concessão do financiamento, passando o cliente à condição de inadimplente.

A suspensão ocorre pelo fato de que a assinatura do contrato e o registro do mesmo em Cartório de Registro de Imóveis quitam totalmente a dívida, torna pública a propriedade do imóvel em nome do cliente, além de alienar o imóvel a favor do banco, não restando qualquer alternativa de cobrança por parte da construtora do saldo devedor remanescente. Portanto, para que o processo seja concluído no seu todo, é imprescindível a assinatura do Instrumento Particular de Reconhecimento de Dívida Pré-Existente, lastreado por garantia previamente aprovada pela construtora.

 

Como utilizar o FGTS.


 

Seu FGTS pode te levar ao sonho da casa própria. Com as facilidades dos financiamentos oferecidos pela Rave e a opção de utilizar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, o próximo passo é começar a escolher o seu imóvel. Saiba algumas dicas sobre como empregar o seu FGTS:

|:: Financiamento com o FGTS


A Rave possui convênios com alguns bancos privados que realizam este programa de financiamento, onde a quantia do seu FGTS pode ser utilizada como parte ou valor total dos recursos para compra do imóvel. De acordo com a CEF, para se valer desse direito, previsto pela Lei Federal nº 8036, é preciso ter trabalhado, no mínimo, três anos com carteira assinada, (não necessariamente em uma mesma empresa). Com o FGTS também é possível pagar parte do saldo devedor (amortização) ou liquidar a dívida da compra da casa própria.

 

|:: Condições


De acordo com a CEF, o valor máximo é de R$ 350.000,00. De acordo com a CEF, a compra deve ser, obrigatoriamente, para residência do dono do Fundo de Garantia, não sendo permitida a aquisição de moradia para familiares, dependentes ou terceiros. Outro ponto importante é que o imóvel se localize na cidade onde o futuro proprietário trabalhe ou em um município próximo ou que integre a região metropolitana em questão.

Ainda de acordo com a CEF, a opção de utilizar o FGTS não vale para quem já é titular de financiamento no SFH (Sistema Financeiro da Habitação) e do imóvel onde mora ou trabalha. Porém, podem utilizar os recursos da conta vinculada do FGTS os trabalhadores separados judicialmente que tenham perdido o direito de residir no imóvel de sua propriedade.

 

|:: Financiamento bancário


Posso utilizar o meu FGTS junto com o processo de financiamento bancário?

Sim, pode utilizá-lo em financiamentos do S.F.H., desde que se enquadre nos pré-requisitos correspondentes, bastando, para isso, fazer a solicitação através de impresso e documentação própria na mesma pasta de documentos do financiamento bancário.

 

|:: FGTS sem financiamento bancário?


Posso utilizar o meu F.G.T.S. sem adquirir o financiamento bancário?

Sim, bastando, para isso, fazer a solicitação através de impresso e documentação própria junto a qualquer instituição financeira. Observar que, neste caso, o F.G.T.S. terá que ser utilizado para quitar o saldo devedor, pois a documentação também terá força de escritura pública, não podendo, desta forma, ficar saldo remanescente com a construtora.

 

|:: FGTS vários compradores:


Pode ser usado o F.G.T.S de todos os compradores do apartamento?

Sim. A utilização do F.G.T.S. poderá ser feita por cônjuge ou, em alguns casos, por casais que declarem viver em regime de união estável. Ambos deverão atender a todas as exigências básicas para a utilização do F.G.T.S. e figurarem na escritura como adquirentes do imóvel.

O FGTS pode ser usado pelo(s) clientes(s) que:

•Não seja(m) comprador(es) ou proprietário(s) de imóvel residencial urbano financiado pelo SFH -Sistema Financeiro da Habitação, em qualquer parte do território nacional.

• Não seja(m) comprador(es) ou proprietário(s) de imóvel residencial urbano concluído ou em construção no atual município de residência e/ou no município onde exerça sua ocupação principal, nos municípios limítrofes e na região metropolitana.

• Não possua(m) participação maior do que 40% de propriedade em um ou mais imóveis.

• Tenha(m) um tempo de contribuição mínimo de 3 anos, não sendo necessário serem consecutivos.

* O(s) imóvel(eis) deve(m) estar avaliado(s) em, no máximo, R$ 500.000,00.

 

O imóvel a ser adquirido deve estar localizado:

•No município onde o(s) adquirente(s) exerça(m) sua ocupação principal, salvo quando se tratar de município limítrofe ou integrante da região metropolitana.

• No município em que o(s) adquirente(s) comprovar(em) que já reside(m) há pelo menos 1(um) ano, cuja comprovação é feita mediante a apresentação de, no mínimo, 2 (dois) documentos simultâneos, tais como contrato de aluguel; contas de água, luz , telefone ou gás; recibos de condomínio; ou declaração do empregador ou de instituição bancária.

• O FGTS pode ser utilizado pelos cônjuges ou companheiros independente do regime de casamento, desde que aquele que não é adquirente principal compareça no contrato como coadquirente.

• Pode ser utilizado junto com processos de financiamento bancário, do SFH, desde que se enquadre nos pré-requisitos correspondentes, bastando para isso fazer a solicitação por meio de impresso e documentação própria na mesma pasta de documentos do financiamento bancário.

• Pode ser utilizado sem adquirir o financiamento bancário, sendo necessário fazer a solicitação em qualquer instituição financeira (qualquer banco). Neste caso, o FGTS terá que ser utilizado para quitar o saldo devedor, pois a documentação também terá força de escritura pública, não podendo desta forma ficar saldo remanescente com a construtora.

Importante - As regras do uso do FGTS podem ser alteradas a qualquer momento pelo Conselho Curador do FGTS. Consulte o site da Caixa Econômica Federal, no link abaixo, para mais informações e verificar o saldo de sua conta.

Para consulta do saldo, clique no item 'Saldo e Extrato do FGTS'. É necessário ter uma senha cadastrada no site da Caixa. Para isso, preencha o campo NIS (Número de Identificação Social), que pode ser o PIS (Programa de Integração Social), PASEP (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público) ou NIT (Número de Identificação do Trabalhador), normalmente anexados na última página da Carteira de Trabalho, e clique em '"Cadastrar senha".

Na página de cadastro, é necessário a data de nascimento, o CNPJ de um empregador e a data de admissão nessa empresa.Com a senha cadastrada, para consultar o saldo, é necessário apenas preencher o campo NIS, a senha e clicar em 'Serviços ao cidadão'. O saldo será apresentado com a contribuição realizada por todos os empregadores.

Clique aqui para consultar o saldo do seu FGTS

Confira outras informações sobre financiamento bancário
O valor de avaliação do imóvel é determinado pela central de engenharia do banco, que providenciará a avaliação e a expedição do respectivo laudo.

 

Dúvidas gerais - Clientes.


 

|:: O que é incoporadora?


Pessoa/empresa que contrata a construção de imóveis (apartamentos ou casas) em sistema de condomínio e os vende em prestações antes mesmo de estarem prontos, comprometendo-se por contrato a entregá-los dentro de prazo e condições determinados.

|:: O que é construtora?


Empresa responsável pela construção de determinado empreendimento.

|:: Quais são os diferenciais Rave?


Equipe exclusiva de vendas

A Rave possui uma equipe formada por corretores próprios treinados, conhecedores dos detalhes de cada empreendimento e comprometidos com os valores e metas da empresa, o que favorece o êxito dos lançamentos e valoriza os empreendimentos no longo prazo.

A força da marca.

A marca Rave, associada ao nome dos empreendimentos, transporta seus valores e sua reputação para cada um deles. A nossa presença com foco na Grande São Paulo , em Osasco, fortalece os negócios imobiliários na região, o que engrandece ainda mais a nossa marca, facilitando as vendas dos futuros lançamentos.

 

Hipoteca.


 

|:: O que é hipoteca?


É uma garantia de direito real muito usada como forma de assegurar um empréstimo por meio da disponibilidade de bens imóveis e móveis (como aviões e navios, por exemplo) até o pagamento da dívida.

 

|:: Existe alguma hipoteca sobre o meu imóvel??


A existência ou não de hipoteca está determinada no seu contrato. Muitas vezes, para a Rave obter um financiamento para a produção da obra na instituição financeira, é preciso conceder alguma garantia. Esse procedimento de conceder a hipoteca das unidades futuras até a emissão do habite-se é praticado normalmente no setor da construção civil, e também não deixa de ser uma garantia de que seu imóvel será construído e entregue.

 

Serasa.


 

|:: Recebi um comunicado de que meu nome está sendo encaminhado ao SERASA. Por quê?


A razão de seu nome estar sendo incluído no SERASA é porque você está com uma parcela atrasada a mais de 30 dias, porém, tem 10 dias corridos da data da postagem para regularizar esta pendência.

|:: A partir do momento em que eu pagar parcelas em atraso, quanto tempo leva para meu nome sair do SERASA?


Em torno de 5 dias úteis.

 

Securitização.


 

|:: O que é securitização?


É a conversão de créditos futuros e outros ativos em títulos, para que estes possam ser vendidos a investidores. Esse termo baseia-se na palavra securities, que no idioma inglês significa segurança, garantia, dar fiança.

Em caso de securitização, as condições pactuadas no contrato original serão mantidas, ou seja, seu contrato não terá nenhuma modificação. Entretanto, a partir da securitização, quem receberá os pagamentos será a empresa securitizadora.

A incorporadora ou banco que concedeu o empréstimo vende os títulos ou ativos a uma empresa securitizadora. Com garantia nesse crédito, a securitizadora emite Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), ou simplesmente recebíveis, postos à venda para investidores.

A securitização do crédito imobiliário pode ser feita quando a instituição financeira ou incorporadora o concedeu, de acordo com a Lei nº 9.514/97.


Central de Atendimento: 11 3685-0330
Institucional: A empresa - Agende uma visita - Qualidade Rave

Av. Dionysia Alves Barreto, 500 - 7ª Andar - Conj. 704 - Osasco - SP

Política de Privacidade | Rave empreendimentos Ltda.
Copyright © 2000 - 2009. Todos os direitos reservados.

Adicionar este site aos favoritos